Pra entender o que é a Maré Vermelha, basta pesquisar no Google ou ler em notícias como essa do Estadão, que explica certinho o que é a operação da Receita Federal.

Resumindo a notícia:

“Produtos adquiridos por brasileiros em sites internacionais estão demorando cerca de quatro meses para serem entregues no País. A Operação Maré Vermelha, da Receita Federal, aumentou a fiscalização na entrada de itens importados e está prejudicando os negócios das empresas e a vida dos consumidores. (…) Pelos parâmetros da Receita, os produtos deixam o “canal verde”, onde a liberação é quase automática, e entram no “canal vermelho”, que exige verificação física e documental. A operação não tem data para acabar e provoca congestionamento em portos e aeroportos, principalmente em São Paulo.”

E mais, há a maior taxação das compras, o que acontecia pouco do ano passado pra trás:

“Os consumidores também reclamam que a Receita Federal está taxando indevidamente os produtos. Pela legislação em vigor, produtos abaixo de US$ 50 importados por pessoas físicas para uso próprio não pagam taxas. Se comprar produtos para revenda ou acima desse valor, o importador é obrigado a pagar os tributos.”

Em uma montagem um tanto tosca, posso resumir o que acho que a Receita pretende com a “maré vermelha”…

Portanto, se você está pensando em comprar em lojas online do exterior, pensem bem por mais esta “ação” do Brasil – pra não dizer outra coisa. Eu ainda arrisquei e pedi mais algumas coisas, apesar de ter sido taxada e uma das minhas compras nem terem chegado ainda (e provavelmente não chegará, porque já fazem quase 7 meses). O bom é que a loja (feelunique.com) enviou a compra novamente e depois de 2 meses chegou.

A StrawberryNet, por exemplo, faz o ressarcimento de taxação caso isso aconteça – basta enviar a nota de pagamento da taxa por e-mail. Porém, algumas consumidoras da loja estão reclamando muito que ela não responde aos e-mails enviados, outras, dizem que eles responderam e foram ressarcidas.

No Facebook da loja, ela mostrou um ótimo post do blog E Ai Beleza? que fala sobre a maré vermelha, e se justificou, pois a maioria das compras feitas lá (como em qualquer outra loja gringa), estão demorando muito pra chegar ao destinatário e muitas vezes ainda param nos Correios, e chega a famosa “cartinha” de taxação na casa da compradora. Como foi constatado na matéria do Estadão.

Nisso, há dois lados prejudicados. Sim, dois.
Os compradores, que gostam de importar devido ao alto imposto que pagamos sobre tudo que comprados aqui no Brasil – e está inserido no preço que as lojas locais colocam. Posso dizer por experiência própria, já que compro a maioria das minhas maquiagens e perfumes lá fora, de qualidade maior e com baixos valores. Posso ter produtos da MAC, Lancôme e Dior, sem afetar minhas contas ao fim do mês.
O outro lado da ponta de prejudicados estão as lojas estrangeiras, que sem obrigação de ressarcir e mandar novamente os produtos comprados, o fazem. Com isso, elas têm grande prejuízo e começam a reaver se vão mesmo continuar vendendo para o Brasil. Já testemunhei várias lojas gringas parando de vender pra cá, por este motivo.

A moral da história é:
Quem paga o pato dos nossos impostos e do serviço mal feito dos Correios somos nós, compradores, e as lojas que nada têm a ver com isso e ainda assim fazem agrados. Só que uma hora começa a não compensar pra elas, e nós perdemos essas lojas. E mais uma vez, pagamos o pato.

Agora, vamos analisar de fato. Quem tem culpa dessa situação toda?
Nós, as lojas, ou a Receita Federal e governo (através dos Correios)?
O que está acontecendo, porém, é que muitos brasileiros estão reclamando com as lojas, porque elas começaram a demorar mais ou parar mesmo de ressarcir algumas compras e taxas. Ou porque “não comunicam que a entrega está demorando e o Brasil está com a Maré Vermelha”. Li muito isso no Facebook do StrawberryNet e em comentários de Twitter com a querida Brigette’s Boutique. Isso porque é mais fácil reclamar com a loja, que está mais comunicável com as compradoras, do que com o governo. Mas temos que analisar a situação com consciência e justiça. Temos mesmo é que economizar a energia de cobrar medidas das lojas gringas, e cobrar por resposta do governo e Receita Federal.

E agora é o momento de você fazer isso.

Está rolando o Abaixo-assinado contra a ineficiência da Receita Federal do Brasil e dos Correios. E aí, sim, podemos ter talvez alguma resposta e posição dos verdadeiros culpados pela maré vermelha. Até o momento desta postagem, a lista tem 9,6 mil assinaturas. O que é pouco para interesse de tantos…

Divulguem e assinem! E para quem reclama com as lojas, tomem conhecimento disso tudo antes de determinar culpados.

Lady Gaga estava meio sumida com suas excentricidades, mas deve ser por este motivo: lançou seu próprio laboratório de fragrâncias, o Haus Laboratories, e inaugurou o portifólio da marca com o perfume Lady Gaga Fame. O Haus foi fundado em parceria com a empresa Coty (que lidera marcas de perfumes).

O “Lady Gaga de ser” não ficou de fora do perfume: ele é um líquido negro, com fluído “black-to-clear” – quando entra em contato com a pele e o ar, o líquido fica transparente. Segundo a marca, o black-to-clear é exclusivo do perfume até então neste mercado.

Os perfumes geralmente têm a estrutura “pirâmide olfativa”, hierarquia de notas olfativas com cabeça, coração e fundo. Essa fragrância, por outro lado, tem uma estrutura chamada tecnologia “push-pull”, onde os ingredientes interagem para realçar diferentes aspectos olfativos de cada nota ao mesmo tempo, sem que haja qualquer hierarquia.

Os acordes trabalham juntos para criar uma fragrância de elementos floral e frutado. Há a fusão de mel, açafrão e néctar de damasco, e a camada floral de tiger orchid e jasmim Sambac.

No Brasil, seu lançamento será apresentado na Beauty Week (evento da indústria de cosméticos de luxo), nos dias 18 e 19 de julho de 2012. O perfume estará disponível a partir de 12 de setembro deste ano mundialmente.

Qual será o resultado dessa mistura toda, sem hierarquia definida? Estou curiosa pra saber e setembro pretendo experimentar lá nos EUA pra vir contar aqui no blog.

Olá pessoas!

Esta é uma receita que eu fiz muitas e muitas vezes e é rápida e muito saborosa, perfeita pra um domingo preguiçoso ou uma janta rápida durante a semana! 🙂

Até onde eu sei, a receita original leva ervilhas e frango (se alguém tiver certeza sobre a origem, por favor, me informe), mas eu acho que esta é uma daquelas receitas que cada um faz de um jeito, e existem milhares de variantes, cada uma com seu detalhe e saborzinho especial. Também acho que o “correto” seria usar um molho bechamél tradicional, mas eu acabo fazendo esta versão modificada que eu chamo de molho de queijo, hehehe! 😀

Esta é a minha versão…

Você vai precisar de…
  • 1 pacote de macarrão (de novo, *eu* gosto de massas curtas, mas escolha a sua favorita)
  • 250 g presunto em cubinhos (pode ser peito de peru, de frango, mortadela, lombinho, etc)
  • 250 g queijo em cubinhos (prato, muçarela, provolone, escolha o seu, é legal um queijo que derreta e estique, hehehe)
  • 50~100 g queijo pro molho (eu gosto de queijos fortes, provolone, parmesão, pode ser até um gorgonzola)
  • 1~2 caldos de galinha (depende de quanto molho vc vai fazer, eu fiz aprox. 1L pq gosto de muito molho, usei 1 tabletinho e meio)
  • 3 colheres (sopa) de manteiga
  • 3~4 colheres (sopa) de farinha de trigo
  • 750mL~1L de leite
  • Água pra cozinhar o macarrão, além de uma pitada de sal e um fio de óleo

  • Preparo

    Pique o presunto e o queijo em cubinhos antes de tudo.

    Coloque a água do macarrão pra ferver, com o sal e o óleo.

    Em uma panela, derreta a margarina em fogo baixo, adicione a farinha de trigo e misture até formar uma pasta.

    Bata no liquidificador a pasta, o queijo do molho, o caldo de galinha e 2/3 do leite, até ficar uniforme. Jogue de volta na panela e use o 1/3 de leite restante pra “enxaguar” o copo do liquidificador e tirar todo o queijo e tempero que ficou no copo, jogando tudo na panela em fogo baixo e mexa até engrossar. Corrija o sal se precisar. Também pode adicionar uma pitadinha de pimenta do reino ou noz moscada ralada se quiser.

    Escorra o macarrão e misture o presunto e o queijo em cubinhos. Adicione o molho e sirva! Se preferir, pode povilhar queijo ralado e gratinar.

    Basicamente é assim que eu faço!

    Quem quiser, pode adicionar as ervilhas junto com o presunto e queijo em cubinhos. Já vi versões com azeitonas também, mas pessoalmente acho que azeitonas combinam mais com molho vermelho. 🙂

    Bon appétit! 😉

    Página 18 de 103« Primeira...10...1617181920...304050...Última »