Arquivos da categoria: Variedades

Depois de um tempo sem sorteios por aqui agora venho um com muito charmoso para o natal!

A marca de bijouterias Carol Gregori, que tem várias lojas por São Paulo (capital) e algumas espalhadas pelo Brasil (veja aqui onde encontrar uma loja).

A Carol, uma fofa, vai presentar uma leitora do Mulherando com um brinco da nova coleção de sua marca – a coleção Turquia. Veja na foto essa belezinha!

Sorteio Carol Gregori e Mulherando

Para concorrer…

Siga as regrinhas abaixo para concorrer ao brinco!

1. Curta a página da Carol Gregori no Facebook ou siga @CarolGregori no Twitter.
2. Curta também o Mulherando no Facebook ou siga no Twitter.
3. Preencha todos os campos do formulário abaixo para participar!

Encerrado!

O concurso vai até dia 05 de dezembro, às 13 horas, e o resultado será divulgado até às 19h do mesmo dia!

Boa sorte! 😉

25/10/2011 | Por Viviam Santos | Variedades | , ,

Em um mês testei a Netflix, site que disponibiliza filmes e séries em “streaming” (transmissão pela web) aos seus assinantes. Conto aqui neste post o que achei sobre o serviço e o conteúdo!

A Netflix é americana, só chegou ao Brasil dia 5 de setembro desse ano, sendo o primeiro país da América Latina a ter esse serviço disponibilizado.

Netflix

“Na ampla e crescente lista de aparelhos compatíveis com a Netflix estão o Xbox 360, o Nintendo Wii e o Playstation 3; um conjunto de aparelhos de Blu-ray, TVs com conexão com a Internet, home theaters, gravadores digitais de vídeo e players de vídeo via Internet; Apple iPhone, iPad e iPod Touch, dispositivos Android, além de Apple TV e Google TV. No total, existem mais de 450 aparelhos compatíveis com a Netflix em todo o mundo. Clique aqui para ver os aparelhos compatíveis com a Netflix.”
(Netflix)

Ou seja, eu assisti apenas no notebook, mas há como conectar na TV, videogame, etc.

O primeiro fato legal do site é que ele deixa você testar um mês gratuitamente, todo o serviço. Depois desse período, caso não deseja continuar, é preciso cancelar para não ser efetuado o pagamento.

Algo que com certeza chama a atenção de novos assinantes é que os filmes são disponibilizados em alta definição (HD).

O sistema também tem sua versão em português para quem não quer em inglês – é só você configurar na página de sua conta.

As vantagens que vejo na assinatura de apenas R$14 por mês é que você assiste filmes e seriados pela web, só ter conexão com a internet (obviamente). Ou seja, seja em qualquer computador ou outro aparelho citado anteriormente a pessoa pode continuar assistindo ou filme ou série onde parou.

As legendas geralmente são em português, sendo que nem sempre há legenda em inglês ou do idioma oficial do filme. O áudio tem, quase sempre, a opção do português (brasileiro). O áudio original do filme sempre está como opção.

Algo que foi implementado no Netflix após o lançamento foi a integração ao Facebook. Com isso, as atividades suas e dos amigos em sua lista de Facebook que têm Netflix também são colocadas na página inicial do sistema.

Uma notícia de agora de outubro também é que quem tem smartphones com Android, pode instalar o programa da Netflix para esses aparelhos e assistir pelo celular! O que agora é uma vantagem extra pra quem tem celular com Android (com acesso à internet).

O interessante é que, antes de começar uma conta, o site faz um questionário para que a pessoa responda e, assim, o sistema teoricamente sugere filmes que tenham a ver com o que foi respondido. Se bem que não achei que o sistema tenha acertado muito meus gostos, apesar de minhas respostas estarem corretas…

Outra coisa que achei interessante, quando funcionou, foi quando comecei a assistir algo e parei no meio (apetando o botão de pausar); voltando à página inicial ela mostrou o que eu estava assistindo, no lugar onde havia pausado. Porém, quando testei e parei um filme no meio depois de novo, voltei à página inicial e não estava na parte que parei. Isso só deu certo uma vez, não sei porquê, e isso pelo jeito ainda falha, até onde vi.

A variedade de filmes e séries é bem legal, mas ainda não é uma completa biblioteca e pode deixar um pouco a desejar – apesar de haver centenas de títulos entre filmes e séries. Outra coisa que eu ainda espero é que mais títulos brasileiros entrem na biblioteca da Netflix, já que por enquanto o site conta com alguns mais famosos.

Se substituo os filmes com qualidade de alta definição vistos na TV ou baixados “paralelamente” pelo computador?

Não. Isso porque, creio eu, os serviços de banda larga disponibilizados no Brasil não atendem as expectativas para isso. Por exemplo, aqui em São Paulo assino um plano de 4MB da Ajato e parece uma carroça, então não me contento e não consigo ter muita velocidade com download/upload. Consequentemente, streaming como o do Netflix fica lento e sem muita definição de imagem como deveria ser. Agora, falando como alguém que mora na capital e no interior ao mesmo tempo, me parece que a mesma velocidade no interior de São Paulo é mais veloz e atende essa demanda. Ou seja, pode ser que para cidades que serviços de banda larga funcionem bem, e não têm muita demanda, a Netflix valha a pena.

Resumindo, atualmente a Netflix é pra passar tempo e ter mais opções de filmes, de forma rápida e prática. Se você procura qualidade e não tem uma internet acima de 6MB, talvez ainda não seja o ideal contar apenas com esse serviço para assistir filmes e seriados.

Para quem tem curiosidade da interface e layout do site deles, seguem abaixo as imagens que mostram boa parte das telas – com explicação sobre cada uma delas.

Questionário de cadastro da Netflix
Questionário de preferências pessoais ao cadastrar.

Tela inicial Netflix
Tela inicial da conta.

Página para títulos infantis
Página para títulos infantis é mais fácil de navegar e atrativa para crianças.

Escolha de gêneros de títulos
Menu de escolha de gêneros e destaques.

Detalhes do título consultado, votos e opção de play
Quando o mouse passa em cima de um filme, a página mostra mais detalhes, votação e a opção de play.

Tela do título quando ele é tocado
Quando dado o play, o filme fica ao meio da página, com opções de escolher áudio e legenda (geralmente inglês e português para áudio e normalmente português para legenda), tela cheia e voltar à página de início.

Pausa e opção de seleção de cenas durante o filme
Quando o filme é pausado e se move a barra de andamento do filme com o mouse, ainda clicado sobre a barra, são mostradas cenas anteriores, do momento e próximas cenas.

Filme tocado em tela cheia
O filme tocado em tela cheia (fullscreen), sem barra nenhuma de navegador ou sistema operacional. Os botões de navegação do filme aparecem quando o mouse é movido.

23/08/2011 | Por Viviam Santos | Variedades |

AH! O amor… Um tema difícil e polêmico. Difícil também de entendê-lo de início, quando sentimos por alguém que não seja da família. Principalmente por aquela pessoa especial. Será amor? Mas afinal…

O que é amor?

Considerando, nesta reflexão, o amor por uma pessoa – namorado, marido, etc.

Segundo o Wikipedia:

“A palavra amor (do latim amor) presta-se a múltiplos significados na língua portuguesa. Pode significar afeição, compaixão, misericórdia, ou ainda, inclinação, atração, apetite, paixão, querer bem, satisfação, conquista, desejo, libido, etc. O conceito mais popular de amor envolve, de modo geral, a formação de um vínculo emocional com alguém, ou com algum objeto que seja capaz de receber este comportamento amoroso e enviar os estímulos sensoriais e psicológicos necessários para a sua manutenção e motivação. É tido por muitos como a maior de todas as conquistas do ser.”

Segundo o dicionário Michaelis:

“a.mor (lat amore) sm 1 Grande afeição de uma pessoa por outra. 2 Afeição, grande amizade, ligação espiritual. 3 Carinho, simpatia. 4 O ser amado.”

Segundo eu mesma:

Tudo citado acima sentido por uma pessoa! E mais.

Esse amor é maior que paixão. Você morre de vontade de estar com essa pessoa, mas fica tranquila ao mesmo tempo porque sabe que estará junto em breve e que o amor continuará mesmo longe.
É maior que carência. Você se sente sozinha longe dele(a), mas sossega quando sente a presença da pessoa em forma de pensamento.
Maior que desejo. Você sente o desejo de estar, ser e tudo o mais com a pessoa! Maior que afeição, que compaixão ou amizade. Em dobro, porque ama.

É também aceitar o que achamos que é defeito. Afinal, todo temos. As qualidades, achamos mais quando amamos.

Também é perdoar. Mas não é o sentimento de carência onde a pessoa só perdoa e nunca recebe nada de bom em troca. É a aceitação de um erro, sabendo que a pessoa é muito maior que aquilo. E significa mais que aquilo.

Amar é, ainda, não esperar recompensas por ter este sentimento. Apenas sente.

É claro que é infinitamente melhor quando a pessoa ama de volta e demonstra sentimento, mas quem ama não deixa de amar porque o outro não demonstrou num dia que ama igualmente.

Contudo, o amor é inexplicável!

Ou seja, tudo dito até aqui serve só pra uma introdução – o sentimento do amor só será definido quando você sentir de verdade.

E não venha me dizer “AMO um carinha que fico há algumas semanas”. Colega, você sente tudo o que se sente quando há amor verdadeiro, só que numa proporção indiscritivelmente menor. Ou seja, não é amor! É qualquer outra coisa, mas não amor. Paixão, carência, até imaginação! Amor, não.

(Aliás, é nessa que entramos no assunto “banalização do amor”, tão comum hoje em dia.)

Para mim, amor se constrói. E os materiais dessa construção só são comprados com o tempo. O amor é sentido naturalmente e sem forçar, às vezes até de forma imperceptível. É um sentimento que cresce com o conhecimento do outro, com discussões, amizade, sinceridade, e muita convivência. Essa última, por sinal, tem o maior peso quando o amor está sendo construído. Afinal, só sabemos que o sentimento que há sobreviverá à convivência – que pode ser a vilã quando se conhece a fundo a outra pessoa, e ser motivo de separação. E então voltamos à chave de como surge o amor: tempo. O tempo constrói a convivência. Logo, constrói amor.

É claro que há exceções. Conheço vários casais que estão juntos há anos e não vejo amor na relação. Ou seja, o amor SEMPRE é sentido após um bom tempo e convivência. Mas nem sempre a convivência e o tempo levam ao amor.

Resumindo: O amor é difícil de explicar e não tão fácil de sentir.

“AMOR
É como Deus, em que se crê ou não
Dependendo da sua experiência
A maioria tem, e uma minoria o procura eternamente
Mesmo sem admitir.
(@patty_chamorro)

Então, que tal viver e se apaixonar? Sem se atrelar aos rótulos de sentimentos?

Que tal perceber a realidade e apenas seguir a vida? Deixar com o tempo, vivendo bem enquanto isso?

Por quê se prender no “eu amo ele” como desculpa para ficar sofrendo? Aliás, nenhum outro sentimento é desculpa para ficar sofrendo.

Apesar do amor ao outro, que é muito maior que amizade ou paixão, é importante ter amor a si mesma! Sempre. E em primeiro lugar, quando a outra pessoa te rebaixa de alguma forma. Ou várias formas.

Quer saber o que é o amor? Ou o que você está sentido? Deixe que o tempo dirá.

Conselho de quem namora há mais de 5 anos e descobriu o amor só com o tempo.

Página 5 de 22« Primeira...34567...1020...Última »