A enxaqueca é uma doença muito comum entre os brasileiros, principalmente entre as mulheres. Cerca de 20% das mulheres e de 5 a 10% dos homens são afetados, segundo a Sociedade Brasileira de Cefaléia – SBC. Estudos mostram que 90 a 100% das pessoas têm ou terão crises de dor de cabeça ao longo da vida.

Essa enxaqueca é caracterizada por crises de dor que podem durar horas ou dias, e dores que chegam a latejar e pulsar. Essa pulsação se dá pelo fato de existirem algumas substâncias presentes em alguns alimentos que provocam a alteração dos vasos sanguíneos do encéfalo, fazendo com que ela aumente e diminua. Essas dores desencadeiam: alteração de humor, irritabilidade, alteração do apetite, alterações na visão com sensibilidade à luz, sensibilidade ao barulho, náuseas, vômitos, fraqueza, tontura, diarreia e até depressão.

Assim como o jejum por muito tempo também pode ser considerado um comportamento que pode gerar o problema.

A doença nem sempre tem cura, porém algumas mudanças na dieta podem melhorar e diminuir os efeitos.

Muitos alimentos presentes na nossa alimentação podem ser grandes vilões e desencadeantes da enxaqueca, como por exemplo:

Doces (açúcar), álcool: podem desencadear enxaqueca muito forte, pois aumentam a freqüência cardíaca, a temperatura corporal, irritabilidade e o aumento da dilatação e constrição das veias;

Adoçantes: estudos indicam que o uso de adoçantes, principalmente a base de aspartame, pode aumentar em 9% em pessoas que já tem predisposição;

Glutamato monossódico (temperos prontos): inibidor de glicose, podendo gerar hipoglicemia (diminuição do açúcar no sangue) e aumentar o problema;

Nitritos: corante encontrado em alimentos embutidos e tem ação vasodilatadora;

Cafeína: presente no café, chá mate, guaraná, cacau e chocolate. Também com ação vasodilatadora e vasoconstritora;

Tiramina: encontrada em queijos, chocolates, carnes em conserva, vinagre, salsichas, iogurte, lentilha, amendoim e outras “sementes”. São precursores da enxaqueca.

O importante é prestar atenção na alimentação, para saber que tipo de alimento pode gerar uma crise, pois varia em cada indivíduo.

Alguns alimentos que devem estar presentes na sua dieta para evitar as crises de enxaqueca.

Consuma mais alimentos ricos em…

Vitaminas: as frutas são ótimas opções, pois atuam no bom funcionamento do organismo, além de serem ótimas fonte de energia.

Vitamina B12: eficaz na prevenção e tratamento da enxaqueca. Fonte: vegetais de folhas verdes, carnes magras e ovos.

Ômega 3: substância antiinflamatória. Fonte: cavalinha, salmão, anchova, sardinha.

Magnésio: facilitador da vasoconstrição. Fonte: hortelã, couve, alho, salsa, aveia, arroz integral e ovos.

Selênio: mineral que atua no funcionamento do sistema nervoso. Fonte: castanha-do-pará.


Fazendo algumas alterações alimentares e observando quais alimentos favorecem as crises, fica mais fácil ter uma qualidade de vida melhor. E lembre-se: Tome cuidado para não ficar em jejum prolongado. Com essas dicas é possível evitar as dores.

email